Tema: “Como combater os casos recorrentes de assédio sexual no Brasil?”

Tema: “Como combater os casos recorrentes de assédio sexual no Brasil?”

Maria Eduarda Muniz – 2º ano – Beta

Tema: “Como combater os casos recorrentes de assédio sexual no Brasil?”

Proposta realizada pelo professor – Modelo: ENEM

Prof. Lincoln

            No hodierno, observa-se os abusos sexuais recorrentes com a população feminina. Essa concepção é um fruto inegável da sociedade machista pelo qual permeia a perspectiva mundana. Além disso, a desigualdade na representabilidade das mulheres no âmbito social auxilia a desencadear constantes casos do problema supracitado. Neste ínterim, torna-se imprescindível discutir e refletir políticas públicas de modo que tais contemplem as minorias sociais.

            Em primeira instância, pode ser evidenciada a sodalicia culturalmente patriarcal no qual introduz a contemporaneidade. Essa realidade está presente desde os primórdios, visto que os homens foram educados com a finalidade de indicar uma denominação e um tratamento de prestígio social superior e, por conseguinte, estratificar a figura da mulher. Mediante a reflexão proposta, insere-se a Lei Maria da Penha, a qual foi sancionada a partir da violência doméstica vivenciada pela ativista social Maria da Penha por parte do marido. Em contrapartida, essa lei denota uma dentre muitas conquistas pelo reconhecimento de parte dessa população.

            A priori, incute-se o assédio sexual, cujo consiste em uma manifestação abusiva alheia à vontade da vítima, portanto, essa problemática reflete diretamente em uma estrutura configurada em favor de grupos dominantes. Assim sendo, a cultura supracitada deve ser um mal reconhecido devido à banalização com o corpo de uma pessoa, em suma, de mulheres. Analogamente ao pensamento transcrito, relaciona-se com a Modernidade Líquida, estabelecida pelo filósofo Zygmunt Bauman, o qual propõe a dissolução de estruturas sólidas tradicionais para que o indivíduo não seja moldado pela sociedade em seu entorno.

            Logo, medidas são necessárias para intervir em tal processo, todavia, cabe ao Governo Federal criar um Programa Nacional de Combate ao Assédio Sexual a partir da Lei Maria da Penha, com o objetivo de propiciar o reconhecimento das regras assertivas quanto às garantias legais das mulheres. Diante dessa realidade, o programa deve abordar debates sobre a violência e a estratificação vivenciada por essa população, em virtude da popularização dos direitos de todos os cidadãos vigentes de um país regido pela democracia.

Deixe uma resposta