“Ensino básico a distância no Brasil – o problema da infraestrutura”

“Ensino básico a distância no Brasil – o problema da infraestrutura”

 

Proposta de Redação Modelo ENEM – 6º Simulado SAS Enem 2020

Tema: “Ensino básico a distância no Brasil – o problema da infraestrutura”

Guilherme Francisco da Silva

Curso Extensivo Delta

26/09/2020

Em 2020, a pandemia de covid-19 alterou as relações interpessoais e, principalmente, o funcionamento dos setores sociais, como os escolares. Mediante o elevado risco de contágio do agente etiológico, as instituições de ensino foram coagidas a se adaptar à educação a distância, mediada por recursos tecnológicos. Entretanto, a dificuldade infraestrutural dos alunos brasileiros de acompanhar as aulas online se evidencia no acesso restrito desses a artifícios, como celulares e “notebooks”. Assim, torna-se intrínseco elaborar debates os quais visem ilustrar medidas para amenizar essa inquietante conjuntura nacional.

   Outrossim, o artigo 205 da Constituição Federal do Brasil dita os conceitos básicos da educação ao estabelecê-la como um direito de todos, além de um dever da família e do Estado. No entanto, de acordo com o site de notícias G1, cerca de 40% dos estudantes de escolas públicas não possuem computador ou “tablet”. No que tange o exposto, em um contexto de ensino conduzido pela internet, essa situação ilustra uma contradição aos pressupostos da lei suprema. Além disso, a referida circunstância se estabelece como fator o qual amplia a desigualdade no acesso de ensino adequado no território tupiniquim.

   Ademais, o filósofo italiano Umberto Eco, em seu livro “Seis passeios pelos bosques da ficção”, estudou a tendência dos indivíduos de negar a realidade ao incluí-la em aspectos ficcionais, em virtude da incapacidade de compreendê-la corretamente. De maneira análoga, necessita-se que os governantes federais não ignorem e, por conseguinte, não se abstenham perante a citada mazela social. Tal súplica se baseia no papel, imprescindível, do governo de tornar mínimos os impactos provenientes de crises socioeconômicas, por meio de estímulos a setores fundamentais, como a saúde e a educação.

   Logo, cabe ao Ministério das Comunicações informar os cidadãos a respeito do Estado oferecer os subsídios adequados aos estudantes para o ensino remoto. Esse ato pode ocorrer em comerciais de televisão, nos canais de elevada audiência, ou em anúncios publicitários nas redes sociais. Sobretudo, os Ministérios da Educação e da Ciência, por meio de incentivos fiscais oriundos do Ministério da Economia, devem distribuir, de maneira temporária, internet de banda larga e dispositivos eletrônicos aos alunos mais necessitados. Tais medidas, em conjunto, visam conscientizar os brasileiros acerca do papel federal e, especialmente, garantir a adesão mais efetiva dos discentes no ensino em contextos de adversidade, como a supracitada pandemia.

Deixe uma resposta